Pages

Escolha outra cor para o Blog

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Lembranças do melhor gato do mundo





Nesta 3ª feira dia 10/07/2012, aos 11 meses de idade meu gatinho Lolo que era tido como filho amado, foi encontrado morto em frente a minha casa por motivo desconhecido.
Os palpites sobre as causas de sua morte são vários, o mais provável é que tenha sido por veneno, pois apesar de castrado ele não conseguia sossegar dentro de casa, e gostava de passear na vizinhança...
Seja o que for, só que restaram foram lembranças do gato mais adorável que já conheci. Eu não sei se ele tinha alguma noção do quanto ele me fez bem desde que entrou em minha vida, e de quanto eu o amava e sempre vou amar.
Não há nada que eu possa fazer para expressar minha tristeza e o grande significado que ele teve para mim e para todos lá em casa.
Por isso deixo aqui para as amantes de gatos um poema de Pablo Neruda que expressa o amor que sentimos por esses bichinhos. Quem tem gato, aproveite e cuide bem dele, pois por mais que não demonstrem, eles precisam da gente, e nos amam muito. Eu continuarei cuidando da gata mais nova, a Malu, que tenho certeza de que está sentindo muita falta do amiguinho dela.
Descanse em paz, Lolo...






Ode ao gato
    Os animais foram
    imperfeitos,
    compridos  de rabo, tristes
    de cabeça.
    Pouco a pouco se foram
    compondo,
    fazendo-se paisagem,
    adquirindo pintas, graça, vôo.
    O gato,
    só o gato
    apareceu completo
    e orgulhoso:
    nasceu completamente terminado,
    anda sozinho e sabe o que quer.
    O homem quer ser peixe e pássaro
    a serpente quisera ter asas,
    o cachorro é um leão desorientado,
    o engenheiro quer ser poeta,
    a mosca estuda para andorinha,
    o poeta trata de imitar a mosca,
    mas o gato
    quer ser só gato
    e todo gato é gato
    do bigode ao rabo,
    do pressentimento à ratazana viva,
    da noite até os seus olhos de ouro.

    Não há unidade
    como ele,
    não tem
    a lua nem a flor
    tal contextura:
    é uma coisa só
    como o sol ou o topázio,
    e a elástica linha em seu contorno
    firme e sutil é como
    a linha da proa
    de uma nave.
    Os seus olhos amarelos
    deixaram uma só
    ranhura
    para jogara as moedas da noite

    Oh pequeno
    imperador sem orbe,
    conquistador sem pátria
    mínimo tigre de salão, nupcial
    sultão do céu
    das telhas eróticas,
    o vento do amor
    na imterpérie
    reclamas
    quando passas
    e pousas
    quatro pés delicados
    no solo,
    cheirando,
    desconfiando
    de todo o terrestre,
    porque tudo
    é imundo
    para o imaculado pé do gato.

    Oh fera independente
    da casa, arrogante
    vestígio da noite,
    preguiçoso, ginástico
    e alheio,
    profundissimo gato,
    polícia secreta
    dos quartos,
    insignia
    de um
    desaparecido veludo,
    certamente não há
    enigma
    na tua maneira,
    talvez não sejas mistério,
    todo o mundo sabe de ti e pertence
    ao habitante menos misterioso,
    talvez todos acreditem,
    todos se acreditem donos,
    proprietários, tios
    de gatos, companheiros,
    colegas,
    díscipulos ou amigos
    do seu gato.

    Eu não.
    Eu não subscrevo.
    Eu não conheço o gato.
    Tudo sei, a vida e seu arquipélago,
    o mar e a cidade incalcullável,
    a botânica,
    o gineceu com os seus extrávios,
    o pôr e o mesnos da matemática,
    os funis vulcânicos do mundo,
    a casaca irreal do crocodilo,
    a bondade ignorada do bombeiro,
    o atavismo azul do sacerdote,
    mas não posso decifrar um gato.
    Minha razão resvalou na sua indiferença,
    os seus olhos tem números de ouro.

    (Navegaciones y Regresos, 1959)
                                                                    Pablo Neruda

7 comentários:

Mary Goulart disse...

Ele está no céu dos gatos agora. E com certeza ele sabe que foi muito amado na sua vidinha^^
Vamos recordar dele com muito amor e alegria, pois o que ele nos proporcionou em sua vidinha.

Tiemi Sone disse...

eu adoro gatos, com certeza ele foi muito feliz com vc aqui!
bjoo

Bruna Araújo disse...

Adorei o blog, muito lindo, amei tudo. Parabéns mesmo, vou sempre estar aqui (:

ontendency.blogspot.com

Antonia disse...

Milena, eu sinto muito, muito mesmo pelo que aconteceu... eu perdi minha filhota de 17 anos há 2 meses e sei como é... sinto muito mesmo, acredite que ele está no céus dos gatos, brincando saudável e muito feliz.
Sei que o que fica agora é esssa saudade dolorida. Novamente, sinto muito mesmo por essa perda.
Bjs!
Esmaltes, Make-up & Cia.
A Face Obscura (afaceobscura.blogspot.com.br)
Endeavour (endeavour11.blogspot.com.br)

mazinha_lokinha25 disse...

Sinto muito pelo seu gatinho :(







amei o blog...

ana_carol.177 disse...

Também sinto muito eplo seu gatinho. Eu ja perdi um gatinho tbm, então sei o que está sentindo! Aora tenho outros e não sei o que faria sem eles. :(

My Precious by Cris disse...

Descobri seu blog e tenho adorado seus trabalhos. Parabéns!
Mas ao passar por esta triste noticia, não posso deixar de dar um abraço de solidariedade, fiquei muito emocionada pois fez agora um ano que também encontrei a minha gatinha sem vida e continuo a sentir a falta da amizade dela todos os dias, custa tanto... Muita força!
Tudo de bom para si,
Cristina (Portugal)